Blog Romi

Veja quais aspectos considerar antes de escolher uma injetora para plástico

Existe uma série de aspectos importantes que precisam ser considerados na compra de uma máquina para injeção de plástico, processo que exige trabalho em alta velocidade e tempo reduzido na produção dos plásticos.

Composto de funil, rosca, cilindro e bico de injeção, o sistema de injeção das máquinas para plástico precisa transportar o material termoplástico de maneira progressiva pelos estágios de alimentação, compressão, fusão e injeção, demandando precisão e, ao mesmo tempo, força e robustez.

Como hoje o parque de máquinas para plástico tem, em média, 18 anos de vida – em alguns casos, até mais de 20 – a busca por novas máquinas, que possam trazer inovação e maior desempenho com menor consumo de energia, é cada vez maior. Se você está nessa jornada, confira abaixo alguns aspectos que devem ser considerados ao escolher uma máquina injetora de plástico:

Elétrica, hidráulica ou híbrida?

Existem três tipos diferentes de máquinas para plástico e sua escolhaEL300 vai influenciar diretamente na sua estratégia de manutenção, no seu desempenho e nos tipos de peças que vão ser necessárias. As injetoras elétricas oferecem uma série de benefícios para as empresas que buscam maior eficiência energética, oferecendo, ao mesmo tempo, precisão na potência e redução considerável no consumo de energia elétrica por meio de um mecanismo que garante a operação do motor apenas quando há operação. A Linha ROMI EL de Injetoras Elétricas oferece alta performance, sendo ideal para ciclos rápidos e peças de paredes finas, destacando-se pela alta velocidade.

EN220No caso das injetoras hidráulicas, o servomotor aciona uma ou mais bombas hidráulicas e a pressão e vazão do óleo realiza os movimentos para abrir e fechar o molde, dando seguimento ao processo de injeção. A Linha de Injetoras ROMI EN, por exemplo, conta com um sistema hidráulico por servobomba batizado de Stop & Go, que proporciona baixo consumo de energia e alta precisão. As injetoras acima de 600 toneladas contam com duas bombas que permitem simultaneidade de movimentos entre unidade injetora e fechamento.

As injetoras híbridas Romi, por outro lado, ES300têm o movimento da injeção acionada por acumulador hidráulico de pressão e servoválvula, proporcionando altíssima velocidade de injeção e precisão, e os demais movimentos tem acionamento elétrico por servomotores, gerando alta desempenho para o processo com simultaneidade total dos movimentos. A Injetora Híbrida ROMI ES 300, foi desenvolvida para peças plásticas que exijam alta razão de injeção, máxima precisão e ciclos ultrarrápidos com menor consumo de energia.

Decida o tipo de plástico que vai usar

Na indústria de plástico, diferentes tipos de material são usados na produção de produtos distintos. Se seu objetivo é usar uma ampla variedade de plásticos para gerar seus itens, busque uma injetora de plástico que seja capaz de trabalhar isso com facilidade.

Nem todas as máquinas para plásticos trazem a mesma configuração e alguns tipos de injetora têm mais dificuldades para trabalhar com determinados materiais. Versatilidade, portanto, é um aspecto-chave a se considerar.

Fornecedor de qualidade

As máquinas de injeção de plástico estão entre as mais versáteis da indústria e ser capaz de fazer a melhor escolha significa obter aumentos significativos de resultados. Para isso, é fundamental buscar fornecedores de qualidade, que ofereçam equipamentos que acompanhem os avanços tecnológicos e garantam equipamentos robustos e com altos níveis de eficiência energética.

A Romi conta com um amplo portfólio de máquinas de injeção para plástico para atender aos mais diversos tipos de necessidades de produção. Saiba mais sobre nossos produtos.

Vetor-Capa-3